Dás por ti rodeada de outras mamãs

numa sala cheia de crianças em festa no infantário dela. O ar cheira a borracha verde da Pelikan SP30, aparas de lápis e cinco tons de marcadores fora da caixa. E, se fechares os olhos durante uns segundos, há um zumbido sereno a percorrer o labirinto de névoa colorida, sumo e bolo da infância, vozes que abrem e fecham portas mesmo atrás da tua língua, fotografias que se amontoam e rebolam dentro da tua barriga.

Abres os olhos. Afinal, ninguém viu.

O 1º Dia da Mãe é uma coisa nova dentro de uma coisa antiga que, afinal, é uma coisa nova também. Nunca me tinham dito isso.

Minês

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s